0 ITEMS
Share
Telefone. +351 212 751 000
   info@cristorei.pt
 
2015-01-06 | Consistório 2015: Presidente e vice-primeiro-ministro de Portugal saúdam D. Manuel Clemente

Patriarca de Lisboa vai ser criado cardeal a 14 de fevereiro

Consistório (imagem de arquivo)
Consistório (imagem de arquivo)

Lisboa, 05 jan 2015 (Ecclesia) – O presidente da República Portuguesa felicitou hoje o patriarca de Lisboa, D. Manuel Clemente, pela sua nomeação como cardeal pelo Papa Francisco.

“O anúncio da nomeação do patriarca de Lisboa, D. Manuel Clemente, como cardeal confirma a singularidade do relacionamento histórico entre Portugal e a Igreja Católica”, refere o texto, divulgado pelo site da Presidência.

Aníbal Cavaco Silva destaca a “dimensão humana” do novo cardeal português, dirigindo-lhe “respeitosas felicitações por esta marca de distinção e apreço” do Papa Francisco.

“O seu contributo nos domínios da ciência e da cultura, e a sua experiência no exercício do magistério episcopal dão pública e inequívoca prova de que estamos perante uma personalidade que se distingue notavelmente pela doutrina, pela piedade e pela prudência”, conclui o texto.

Também hoje o vice-primeiro-ministro Paulo Portas felicitou a nomeação como cardeal de D. Manuel Clemente, que apresenta como "homem de Fé e Cultura, voz de compaixão e razão".

Num comunicado divulgado esta segunda-feira, no site do CDS-PP, o presidente do partido saúda também a nomeação de D. Arlindo Furtado, bispo de Santiago, primeiro cardeal de Cabo Verde, e do bispo emérito de Xai Xai, no sul de Moçambique, D. Júlio Duarte Langa (este com mais de 80 anos).

"Para os portugueses e todos os povos de expressão lusófona, crentes ou não crentes, este anúncio é acolhido com especial significado: vários destes nomes, que vêm de todo o mundo, são falados e vividos em português", considera o vice-primeiro-ministro de Portugal.

"Em particular, alegramo-nos com a nomeação e reconhecimento do Patriarca de Lisboa – seja por uma tradição antiga, que honra uma bula e uma ligação secular, seja pelos méritos de D. Manuel Clemente, que honram o pastor e a diocese de Lisboa -, que o elevam a uma maior e mais próxima colaboração com o Papa Francisco”, acrescenta o texto.

O Papa Francisco revelou este domingo que vai criar 15 cardeais eleitores, provenientes de 14 países, e cinco cardeais não-eleitores (com mais de 80 anos de idade).

Este vai ser o segundo consistório do atual pontificado, após a criação de 19 cardeais, entre os quais 16 eleitores, a 22 de fevereiro de 2014.

O consistório para a criação de novos cardeais, marcado para 14 e 15 de fevereiro, vai decorrer após um encontro de dois dias com todo o Colégio Cardinalício, sobre a reforma da Cúria Romana, nos dias 12 e 13 do mesmo mês.

O patriarca de Lisboa, D. Manuel Clemente, vai tornar-se no quarto cardeal português do século XXI (48.º da história) e primeiro a ser designado no atual pontificado.

D. Manuel Clemente, de 66 anos, foi nomeado patriarca de Lisboa pelo Papa Francisco a 18 de maio de 2013, após a resignação do cardeal D. José Policarpo, que faleceu em março de 2014; anteriormente, tinha sido bispo do Porto desde 2007.

Após a nomeação como patriarca de Lisboa, foi eleito como presidente da CEP até abril de 2014 e reeleito no cargo, nesse mesmo mês, por três anos.

O 17.º patriarca de Lisboa foi o vencedor do Prémio Pessoa 2009, distinção que evocou a sua obra historiográfica, intervenção cívica e “postura humanística de defesa do diálogo e da tolerância, de combate à exclusão e da intervenção social da Igreja”.

D. Manuel Clemente foi nomeado bispo auxiliar de Lisboa por João Paulo II, a 6 de novembro de 1999; a ordenação episcopal teve lugar na igreja de Santa Maria de Belém (Jerónimos) no dia 22 de janeiro de 2000.

Em 2007, Bento XVI nomeou-o bispo do Porto, para suceder a D. Armindo Lopes Coelho; receberia o Papa alemão na cidade nortenha, a 14 de maio de 2010.

Portugal estava representado até agora no Colégio Cardinalício por D. José Saraiva Martins, prefeito emérito da Congregação para as Causas dos Santos (com mais de 80 anos) e D. Manuel Monteiro de Castro, penitenciário-mor emérito.

Fonte: Agência Ecclesia

<<< Voltar