0 ITEMS
Share
Telefone. +351 212 751 000
   info@cristorei.pt
 
2014-05-20 | Igreja/Portugal: Presidente da República recorda D. Eurico Dias Nogueira como «personalidade marcante»

Aníbal Cavaco Silva enviou mensagem de condolências pelo falecimento do arcebispo emérito de Braga

Lisboa, 20 mai 2014 (Ecclesia) – O presidente da República lamentou hoje o falecimento de D. Eurico Dias Nogueira, arcebispo emérito, que morreu esta segunda-feira aos 91 anos, que recorda como uma “personalidade marcante”.

“O seu exemplo e o seu testemunho de vida marcaram gerações inteiras, de crentes e não-crentes, que admiravam profundamente a coragem e a frontalidade com que D. Eurico Dias Nogueira defendia os princípios em que acreditava”, refere a mensagem de condolências enviada por Cavaco Silva à família do falecido prelado e à Conferência Episcopal Portuguesa.

O presidente da República fala num “um homem de fé, de convicções e de princípios” que foi “personalidade marcante da vida da Igreja portuguesa no século XX”.

“O seu magistério, profundamente influenciado pela renovação eclesial iniciada pelo Concílio Vaticano II, em que participou, pautou-se pela defesa dos valores essenciais da dignidade da pessoa humana”, sublinha a mensagem.

Aníbal Cavaco Silva acrescenta que D. Eurico Dias Nogueira defendeu esses valores “ao longo da sua trajetória de vida”, em Moçambique e em Angola e, mais tarde, na Arquidiocese de Braga.

A Câmara de Braga decretou hoje o cumprimento dois dias de luto municipal pelo falecimento do arcebispo emérito, cujo funeral se vai celebrar esta quarta-feira, às 15h30, na catedral da arquidiocese minhota.

D. Eurico Dias Nogueira nasceu a 6 de março de 1923 em Dornelas do Zêzere, Concelho de Pampilhosa da Serra e Diocese de Coimbra.

Foi ordenado padre a 22 de dezembro de 1945 e no final do mesmo mês passou a frequentar o Colégio Pontifício Português, em Roma; em 1948 reiniciou a atividade docente e pastoral em Coimbra e dez anos depois tornou-se membro do Cabido da Sé.

A 10 de julho de 1964 o Papa Paulo VI nomeou-o bispo de Vila Cabral, atual Lichinga, em Moçambique, e a partir de setembro participou na terceira sessão do Concílio Vaticano II, assembleia que decorreu de 1962 a 1965.

Recebeu a ordenação episcopal no dia 6 de dezembro de 1964 e em 1972 foi transferido para Sá da Bandeira, hoje Lubango, em Angola.

D. Eurico Dias Nogueira pediu a resignação da diocese angolana, aceite por Paulo VI a 3 de fevereiro de 1977, e a 5 de novembro do mesmo ano o Papa nomeou-o arcebispo de Braga, missão que manteria durante mais de duas décadas, até 1999.

Fonte: Agência Ecclesia

<<< Voltar