0 ITEMS
Share
Telefone. +351 212 751 000
   info@cristorei.pt
 
2014-03-13 | Presidente evoca «personalidade ímpar»

Aníbal Cavaco Silva destaca inteligência e lucidez de D. José Policarpo, falecido hoje aos 78 anos

Lisboa, 12 mar 2014 (Ecclesia) – O presidente da República enviou uma mensagem de condolências à família do cardeal D. José Policarpo, patriarca emérito de Lisboa, que evocou como “personalidade ímpar” do país.

“Todos os Portugueses, crentes e não crentes, lamentam a perda de uma personalidade ímpar, que pela lucidez serena e pela luminosa inteligência da sua palavra constituiu, ao longo de décadas, uma das mais importantes referências éticas e espirituais da nossa sociedade”, refere a mensagem de Aníbal Cavaco Silva, divulgada pela Presidência da República.

D. José Policarpo, patriarca emérito de Lisboa, faleceu hoje, vítima de aneurisma na aorta, aos 78 anos, anunciou a diocese.

Cavaco Silva sublinha que Portugal foi “tristemente surpreendido” pela notícia da morte de alguém que “dedicou a sua vida à causa da Igreja, sendo um dos principais responsáveis pela concretização”, no país, “da renovação eclesial iniciada pelo Concílio Ecuménico do Vaticano II”.

“Dotado de uma profunda cultura humanística, autor de uma vastíssima obra, teve papel determinante na afirmação e consolidação da Universidade Católica Portuguesa, onde foi professor e, mais tarde, reitor”, acrescenta a mensagem.

Segundo o presidente da República, D. José Policarpo “norteou a sua presença na vida pública pelos ideais da tolerância, da autenticidade e da fidelidade aos valores em que acreditava, assumindo o serviço aos outros, em especial aos mais carenciados, com exemplar generosidade e admirável espírito de entrega”.

As condolências estendem-se a “toda a Igreja Católica de Portugal”.

As exéquias do cardeal, presididas pelo patriarca de Lisboa D. Manuel Clemente, vão ser celebradas esta sexta-feira, às 16h00, na Sé Patriarcal, seguindo depois o corpo para o Panteão dos Patriarcas, em São Vicente de Fora.

O corpo vai chegar na quinta-feira à Sé de Lisboa, pelas 15h00, permanecendo em câmara ardente.

Fonte: Agência Ecclesia

<<< Voltar