0 ITEMS
Share
Telefone. +351 212 751 000
   info@cristorei.pt
 
2013-09-13 | Cáritas: Campanha 10 milhões de estrelas 2013 vai servir para apoiar população síria

Conferência Episcopal Portuguesa espera que «este ano» as velas «se acendam» pelo bem de um povo obrigado a viver «em extrema precariedade»

Fátima, Santarém, 11 set 2013 (Ecclesia) – A próxima edição da campanha “10 milhões de estrelas”, que a Cáritas promove todos os anos durante o tempo de Natal, vai servir para apoiar o povo da Síria, atingido por uma guerra civil sem fim à vista.

Em declarações aos jornalistas, no final da reunião do Conselho Permanente da Conferência Episcopal Portuguesa (CEP), o padre Manuel Morujão revelou que 35 por cento dos fundos conseguidos através da iniciativa vão ser encaminhados para aquela região do Médio Oriente.

O conflito entre o governo do presidente Bashar al-Assad e as tropas rebeldes contrárias ao regime já provocou mais de 100 mil mortos e obrigou cerca de seis milhões de pessoas a deixarem as suas casas, para procurarem abrigo em outras zonas do país ou em nações vizinhas.

O porta-voz da CEP espera que “este ano, 10 milhões de estrelas se acendam pela paz na Síria” e pelo bem das populações locais, grande parte delas obrigadas a viverem “em condições de extrema precariedade”.

A operação “10 Milhões de Estrelas – Um Gesto pela Paz” é uma iniciativa solidária que nasceu em França e começou a ser promovida em Portugal em 2003.

O principal objetivo é incentivar a sociedade civil, os cidadãos, a contribuírem para a melhoria das condições de vida de pessoas e povos desfavorecidos, atingidos por fenómenos como a pobreza, a guerra, as catástrofes naturais, as desigualdades sociais.

Para o fazerem, as pessoas só tem de adquirir uma vela (com o preço de 1 euro) e acendê-la em nome da paz, que é também um dos principais valores da quadra natalícia.

Além da percentagem referida dos fundos que vão reverter a favor da Síria, a Cáritas Portuguesa vai aplicar os restantes 65 por cento em projetos destinados a apoiar famílias portuguesas em situação de carência.

Fonte: Agência Ecclesia

<<< Voltar