0 ITEMS
Share
Telefone. +351 212 751 000
   info@cristorei.pt
 
2013-07-03 | Pastoral Operária teme desagregação das famílias

Comissão Nacional alerta para impacto do desemprego e precariedade

Lisboa, 01 jul 2013 (Ecclesia) – A Comissão Nacional da Pastoral Operária (CNPO), que congrega vários organismos da Igreja Católica, alertou hoje para as consequências do desemprego e da precariedade sobre as famílias portuguesas.

“Não se pode ignorar que se tem agravado a precariedade em que vivem muitas crianças e adolescentes no país, tanto a nível material, como a nível afetivo em resultado da desagregação familiar, associada à procura pelos pais de emprego noutros países e/ou pelas dificuldades económicas no seio das famílias portuguesas”, refere um comunicado assinado pelo coordenador nacional da comissão, Américo Monteiro.

O documento, enviado à Agência ECCLESIA, alerta para a “desvalorização” do trabalho, a “precarização laboral” e o “desemprego estrutural” que, de acordo com o organismo, “continuam a ter um efeito devastador na vida de tantos homens, mulheres, jovens, adolescentes, crianças e suas famílias”.

“Podemos dizer que este é hoje o grande problema do país”, acrescenta a nota, que lamenta o “agravamento dos impostos, a diminuição dos salários dos trabalhadores, o empobrecimento do país”.

A CNPO alude às “dificuldades crescentes” na vida das pessoas e ao “acréscimo das carências sentidas pelas famílias”, para dizer que a situação pode ter “efeitos imprevisíveis”.

“Esta instabilidade tem levado a que os jovens, muitos até com estudos elevados, deixem o país porque não encontram aqui oportunidades de trabalho nas suas áreas de formação nem noutras”, destaca o organismo.

A CNPO sustenta que é necessário “procurar propostas arrojadas” como, por exemplo, “a redução dos tempos de trabalho e a idade das reformas”.

“Temos o dever de ser audazes em implementar e experimentar uma nova vivência social, baseada nos valores cristãos, onde se possa testemunhar que uma outra organização económica e social e política é possível, tem de ser possível”, acrescenta o comunicado.

A comissão deixa votos também de que sejam criadas condições para os desempregados e outros cidadãos em geral que “tenham ideias e o mínimo de condições para avançarem com projetos de criação de emprego”.

A Pastoral Operária de Portugal congrega os organismos que fazem trabalho de Igreja no setor: JOC (Juventude Operária Católica), LOC/MTC (Liga Operária Católica/Movimento de Trabalhadores Cristãos), MAAC (Movimento de Apostolado de Adolescentes e Crianças), PEMO (Padres em Mundo Operário) e REMO (Religiosas em Mundo Operário).

Fonte: Agência Ecclesia

<<< Voltar