0 ITEMS
Share
Telefone. +351 212 751 000
   info@cristorei.pt
 
2012-05-25 | Vaticano: Papa vai conceder «indulgência plenária» aos participantes do Encontro Mundial das Famílias

Intenção de Bento XVI foi anunciada pela Penitenciaria Apostólica da Santa Sé, liderada pelo cardeal português D. Manuel Monteiro de Castro

Cidade do Vaticano, 25 mai 2012 (Ecclesia) – Bento XVI vai conceder “indulgência plenária” aos fiéis que participarem no sétimo Encontro Mundial das Famílias, na cidade italiana de Milão, entre 30 de maio e 3 de junho.

O decreto, assinado pelo cardeal português D. Manuel Monteiro de Castro, penitenciário-mor da Santa Sé, foi publicado hoje pela Sala de Imprensa do Vaticano.

A reunião internacional de famílias, que este ano terá como tema “A Família, o Trabalho e a Festa”, pretende ajudar os agregados a “conciliarem a exigência do dia a dia, a relação humana, os desafios profissionais, as horas de descanso” com a vivência da fé, “sobretudo ao domingo, dia do Senhor, do Homem, da família e da comunidade”.

Ao conceder a indulgência plenária, o Papa quer “ajudar os fiéis a prepararem-se espiritualmente para o Encontro Mundial, estimular a penitência e a caridade e promover a santificação da família, segundo o exemplo de Jesus, Maria e José”.

O decreto da Penitenciaria Apostólica recorda que a indulgência se aplica segundo as condições normais, ou seja, pelo “sacramento da confissão”, pela “comunhão eucarística” e através da “oração segundo as intenções do Santo Padre”.

Acrescenta ainda que os fieis que não puderem estar presentes em Milão vão ter a oportunidade de receber na mesma a remissão dos pecados, “se estiverem unidos em espírito e pensamento” com todos os participantes e “recitarem em família o Pai Nosso, o “Credo” ou outras orações, particularmente nos momentos em que as palavras e as mensagens do Papa forem transmitidas através da rádio e da televisão”.

A indulgência é definida no Código de Direito Canónico (cf. cân. 992) e no Catecismo da Igreja Católica (n.º 1471) como “a remissão, perante Deus, da pena temporal devida aos pecados cuja culpa já foi apagada”, que o fiel obtém em “certas e determinadas condições pela ação da Igreja”.

Fonte: Agência Ecclesia

<<< Voltar