0 ITEMS
Share
Telefone. +351 212 751 000
   info@cristorei.pt
 
2012-04-20 | Vaticano II: Conferência Episcopal fala em Concílio com «50 anos de atualidade»

Bispos afirmam que a fé deixou de ser um «dado evidente» e pedem presença cristã na vida social e política

Fátima, Santarém, 19 abr 2012 (Ecclesia) – A Conferência Episcopal Portuguesa (CEP) apresentou hoje a nota ‘Celebrar e viver o Concílio Vaticano II’, convidando a assinalar os 50 anos da abertura deste acontecimento, numa altura em que “a fé deixou de ser um dado evidente”.

“Celebrar o Concílio Vaticano II não significa recordá-lo em clima de nostalgia do passado, mas revivê-lo e projetá-lo, na abertura ao futuro onde Deus nos espera. Cabe-nos a missão de pôr sempre mais em prática o Vaticano II, um Concílio com 50 anos de atualidade”, refere o documento, aprovado durante os trabalhos da assembleia plenária do organismo episcopal, que decorreram em Fátima desde segunda-feira.

Para os bispos católicos, esta é uma ocasião para “experimentar a alegria e o entusiasmo do encontro com Cristo na comunidade da sua Igreja”.

“Se a nossa fé não se renova, facilmente degenera num adorno espiritualista e as práticas religiosas não passam de rituais sem alma e coração”, indica o texto.

A nota pastoral observa que “não basta mostrar a nossa concordância com os documentos do Concílio Vaticano II [1962-1965] e o Catecismo da Igreja Católica”, publicado há 20 anos, apelando a um “estilo de vida cristã, na família e no trabalho, na vida social e política”.

Recordando o “dinamismo de renovação” que foi experimentado na Igreja, “aos mais diversos níveis e quadrantes geográficos”, após este evento, os bispos portugueses pedem aos católicos “fidelidade criativa” aos ensinamentos conciliares.

“Queremos dar graças a Deus por este Concílio providencial que continua a inspirar a Igreja”, apedar de todas as “hesitações e desvios”, assinala a CEP.

A Igreja Católica em Portugal é desafiada a integrar nos seus planos pastorais as “indicações gerais e as propostas de ação” que Bento XVI deixou na convocação do Ano da Fé, com início marcado para outubro, por ocasião do cinquentenário da abertura do Concílio Vaticano II.

“Propomos que as atividades e iniciativas programadas, como cursos, jornadas, pregações, retiros, encontros, peregrinações, intervenções na comunicação social e a própria oração, possam abordar temas na linha das efemérides celebradas”, refere a nota, publicada pela Agência ECCLESIA.

O momento celebrativo, a nível nacional, vai decorrer a 13 de outubro, em Fátima, “aproveitando a habitual peregrinação e praticamente em coincidência com a data da abertura do Concílio há 50 anos” [11.10.1962].

“Fraternalmente unidos, agradeceremos a Deus a grande graça do Concílio Vaticano II, que ainda hoje continua a ser bússola segura que norteia a vida e a ação da Igreja de Cristo”, explica a CEP.

Durante a assembleia plenária foi aprovado o programa das próximas Jornadas Pastorais do Episcopado (18-21 de junho), que vão ter como tema ‘A receção do Concílio Vaticano II na Igreja em Portugal’.

Fonte: Agência Ecclesia

<<< Voltar