0 ITEMS
Share
Telefone. +351 212 751 000
   info@cristorei.pt
 
2012-03-28 | Cuba: Bento XVI reuniu-se com o presidente Raúl Castro em Havana

Visita do Papa durou cerca de uma hora

AP

Havana, 27 mar 2012 (Ecclesia) – Bento XVI encontrou-se hoje com o presidente cubano Raúl Castro no Palácio da Revolução, em Havana, acompanhados pelas respetivas delegações, numa “visita de cortesia" que durou cerca de uma hora.

O momento inicial do encontro foi transmitido pelas televisões, que registaram aindao começo dareunião entre os responsáveis pelas diplomacias de Cuba e da Santa Sé, com a presença do secretário de Estado do Vaticano, cardeal Tarcisio Bertone e do primeiro vice-presidente de Cuba, José Ramón Machado Ventura.

A Santa sé tinha adiantado que Bento XVI e Raúl Castro seiam encontrar em privado, seguindo-se cumprimentos a familiares – sem confirmar a presença do antigo líder cubano, Fidel Castro, irmão do atual presidente, que não surgiu nas imagens transmitidas.

Segundo o site da visita, preparado pelo Ministério dos Negócios Estrangeiros de Cuba, em cima da mesa estiveram temas “relativos às agendas do Governo da ilha e da Santa sé”.

Durante as conversas registadas pelas câmaras,o presidente de Cuba perguntou ao Papa se tinha descansado bem, antes de destacar o grande número de atos previstos na agenda da viagem, que se iniciou na sexta-feira, no México.

Bento XVI respondeu em italiano, sendo ajudado por uma tradutora para manter o diálogo.

Ambos reapareceram diante das câmaras ao fim de 45 minutos, para a troca de presentes habitual nestes encontros: o presidente cubano ofereceu uma estátua da Virgem da Caridade e o Papa pentregou um

Após as conversas, o presidente Raúl Castro apresentará sua família ao papa e acontecerá uma troca de presentes. O pontífice entregará a Raúl Castro um fac-simile da 'Geographia de Ptolomeu', obra do século XIV que se enconta na Biblioteca do Vaticano.

A reunião concluiu-se na escadaria do Palácio, com um cumprimento, à distância, para os jornalistas presentes no local

O presidente Raúl Castro recebeu oficialmente o Papa esta segunda-feira, no aeroporto internacional de Santiago,afirmando que o país se sentia “muito honrado” com a segunda viagem papal da história a Cuba, 14 anos depois da visita de João Paulo II.

A passagem do Papa polaco, disse Bento XVI, “deu novo vigor à Igreja em Cuba”, ao mesmo tempo que “reacendeu a esperança e revigorou o desejo de trabalhar corajosamente por um futuro melhor”.

Um futuro partilhado com um país que olha "para o amanhã”, procurando “renovar e ampliar os seus horizontes”, destacou o atual Papa, antes de admitir que as relações entre Igreja e Estado têm aspetos em que se “pode e deve avançar”.

Raúl Castro garantiu o respeito pela liberdade religiosa e elogiou as “boas relações” diplomáticas com a Santa Sé, “baseadas no respeito mútuo”, bem como a “coincidência” de posições com o Papa, em vários temas.

A visita de Bento XVI a Cuba encerra-se esta quarta-feira com uma missa na Praça da Revolução, em Havana, às 09h00 locais, com a última homilia papal.

A despedida, com o discurso final vai decorreràs 16h30 no aeroporto da capital, meia hora antes da partida para Roma, onde o Papa deve chegar às 10h15de quinta-feira (menos uma em Lisboa),22 mil km após o início da viagem.

Fonte: Agência Ecclesia

<<< Voltar