0 ITEMS
Share
Telefone. +351 212 751 000
   info@cristorei.pt
 
2012-01-04 | 2012: Bispo de Santarém sublinha importância de aproveitar «totalidade» do potencial humano

D. Manuel Pelino Domingues propõe adoção de valores como a «solidariedade» para sacudir cultura dominada pelo «individualismo»

Santarém, 03 dez 2012 (Ecclesia) – O bispo de Santarém convida os portugueses aalterarem estilos de vida, em função dos desafios que vão enfrentar em 2012, e a unirem esforços em busca de soluções que ultrapassem o mero “crescimento económico”.

Numa mensagem transmitida aos fiéis durante a eucaristia de Ano Novo, publicada hoje no site oficial da diocese, D. Manuel Pelino Domingues reconheceu que “a situação económica e social se apresenta pouco animadora”, com “mais impostos, mais desemprego, desigualdades mais gritantes”.

No entanto, “o desenvolvimento da humanidade não pode ser entendido apenas como crescimento económico”, alertou o prelado, salientando que a solução da crise está na capacidade de se aproveitar a “totalidade” do potencial humano.

Para sacudir uma cultura dominada pelo “individualismo fechado”, refém do “consumismo desenfreado” e do “relativismo moral”, o bispoescalabitano propõe a adoção de valores como a “solidariedade”, a “sobriedade” e o “diálogo”.

“Teremos de fazer alguns acertos e enfrentar alguns sacrifícios em ordem a preparar um futuro mais promissor para as novas gerações”frisou aquele responsável católico, considerando que a “esperança” do mundo reside nos jovens.

A homilia do bispo de Santarém fez ainda eco das palavras do Papa na mensagem para o Dia Mundial da Paz, que “convida a repensar” a maneira como a sociedade está a educar os mais novos.

“Indo à raiz da palavra, Bento XVI chama a atenção para a linha de fundo ou base da educação” que é “conduzir para fora de si mesmo, ao encontro da realidade, rumo ao pleno desenvolvimento”, destacou o prelado.

SegundoD. Manuel Pelino Domingues, pouco adianta “ter acesso a grandes conhecimentos se, depois, as pessoas vivem fechadas no seu individualismo, alheias e indiferentes aos outros”.

Fonte: Agência Ecclesia

<<< Voltar