0 ITEMS
Share
Telefone. +351 212 751 000
   info@cristorei.pt
 
2010-02-15 | Mensagem do Bispo de Setúbal para a Quaresma 2010
 
MENSAGEM DE D. GILBERTO PARA A QUARESMA 2010
 
"A Justiça Divina é a Plenitude da Caridade"
 

 

 Versão para Impressão

 
 
Caros Diocesanos,
 
 
Na Quarta Feira de Cinzas, este ano dia 17, começa a Quaresma que culmina no Tríduo Pascal.
 
No Tríduo Pascal celebramos a justiça divina que é a plenitude da caridade, da salvação, do dom como ensina o Santo Padre na mensagem quaresmal deste ano. Na verdade, na Cruz – e de forma desconcertante pois que o Justo paga pelo pecador – Deus dá ao homem algo que lhe é próprio e necessário: o amor. Na Cruz, o homem recebe o amor sem o qual é vazio e incapaz de realizar a justiça. Na Cruz, o homem aprende que é dom e que, como tal, há-de dar-se até ao fim, fazendo da vida um dom e restaurando a justiça no mundo.
 
Temos consciência do dom do amor de Deus? Fazemos da vida um dom-para-os-outros?
 
A Quaresma é tempo de graça dado por Deus ao cristão para que entre no mistério da vida em Cristo de que participa pelo Baptismo. Dado para que tome consciência de que recebe tudo e de que, por isso, deve fazer da vida um dom. Dado para que compreenda que só na cruz de Cristo pode viver como ser amado e, repleto da justiça do amor divino, encher o mundo da justiça divina, fonte da verdadeira justiça humana de que a sociedade carece.
 
Convido-vos, caros diocesanos, a viver a Quaresma com verdade realizando com entusiasmo os exercícios quaresmais. Elaborai, para isso, um projecto pessoal de vivência deste tempo que permita colher os seus melhores frutos. Em ordem à elaboração deste projecto, dou algumas orientações:
 
            + Ler a mensagem quaresmal do Santo Padre que se encontrará na paróquia, no jornal diocesano ou no sitio da Diocese e ainda algum documento sobre a doutrina social da Igreja.
 
            + Dedicar mais tempo à oração e preparar melhor a celebração da Eucaristia dominical para que seja o centro da vida semanal, por exemplo, relendo as leituras da missa de Domingo
 
            + Praticar a Renúncia Quaresmal também como meio de aprender um estilo de vida sóbria sem a qual nem a solidariedade cresce nem se descobre a vida como dom, à maneira de Jesus. O fruto da renúncia do ano passado foi de 40.855 mil euros. Louvo a vossa generosidade. A Renúncia deste ano ajudará a reparar o telhado do Mosteiro das Monjas de Belém e apoiará a missão de Caconda no Lubango, em Angola. Em 'Ano Europeu de luta contra a pobreza e a exclusão social' o exercício da Renúncia pode fortalecer-nos no desejo de contribuir para uma sociedade mais justa.
 
            + Aprender, com o jejum e a abstinência, a emagrecer da auto-suficiência, da arrogância e do egoísmo e a crescer no respeito, carinho, misericórdia e na arte de bem acolher o outro.
 
            + Celebrar o Sacramento da Reconciliação. Peço aos padres, louvando a sua disponibilidade para o oferecerem, que se excedam ora no cuidado de o apresentar como fonte do amor divino que perdoa e dá um coração novo, ora no cuidado de criar novos tempos para que seja mais fácil o acesso ao Sacramento. A todos os fiéis peço oração para que nenhum deixe de ir ter com Jesus, que o espera neste Sacramento para lhe dizer: vai em paz, os teus pecados estão perdoados. E advirto da tentação de deixar a Confissão sob o pretexto de não ter pecados ou de se confessar a Deus.
 
Caros fiéis, ajudai-vos a viver a Quaresma velando para que ninguém se atrase, pois ninguém chega primeiro ou mais alto se esquece o outro. Para isso conto – além do serviço de todo o clero – com o apoio dos responsáveis das obras, movimentos e serviços. Peço especial atenção às crianças. Em Ano Sacerdotal, examinai-vos sobre a fé na presença de Jesus Bom Pastor no sacerdócio ministerial e sobre o modo como estais a viver a condição de Povo santo e sacerdotal.
 
Termino com as palavras do Santo Padre: “Queridos irmãos e irmãs, a Quaresma culmina no Tríduo Pascal, no qual também este ano celebraremos a justiça divina, que é plenitude de caridade, de dom, de salvação. Que este tempo penitencial seja para cada cristão tempo de autêntica conversão e de conhecimento intenso do mistério de Cristo, que veio para realizar a justiça.”
 
Imploro sobre todos vós a Bênção de Deus nosso Pai
 
 
+ Gilberto, Bispo de Setúbal
 
 
 
 
 
<<< Voltar